Eles ficam em Arraial do Cabo! 

Repórter Vinícius Pereira 

      A Prefeitura de Arraial do Cabo, por meio da Fundação Municipal de Meio Ambiente, realizou nesta quarta-feira (26), atividades em comemoração ao dia do arqueólogo.



     Pela manhã, a equipe fez uma expedição até o Forte do Sururu, localizado na ponta do Morro do Forno.  O monumento foi descoberto em julho de 2012, na ação realizada em parceria com a equipe da UFRJMar. De acordo com a presidente da Fundação de Meio Ambiente, Leonízia de Melo, a proposta da equipe técnica tem como base o saber da importância no resgate da cultura e história cabista. "Podemos avançar ainda mais na preservação do Forte Sururu, por meio dos convênios com as universidades e com o próprio IPHAN. A depredação dos nossos patrimônios vem sofrendo com ações antrópicas que danificam e até mesmo destroem esse magnífico meio ambiente cultural da Costa brasileira" - afirmou a presidente.



     À tarde, o grupo fez uma caminhada no Sambaqui, situado na Praia Grande. O local, que não é fechado, fica nas dunas que são frequentadas diariamente por moradores e turistas. O Oceanógrafo e Arqueólogo Paulo Hargreaves, explica que a história do local tem mais de 10 mil anos e precisa ser preservado. "O espaço ficou preservado pela vegetação local, porém nos últimos 10 anos, o sambaqui vem sofrendo a ação das construções que foram aumentando. Essas pedrinhas brilhantes que as pessoas encontram nas dunas, são vestígios de uma fábrica de lanças de flechas. Precisamos fechar esse local para que os danos a história não sejam maiores. O Sítio Arqueológico está totalmente exposto. A própria população não tem consciência de que isso tudo existe aqui" - afirmou o arqueólogo.

     A equipe busca, agora, a atenção dos órgãos públicos para que os locais sejam cada vez mais preservados e não sofram mais com as ações de degradação oriundas da ação do homem.












Postar um comentário

 
Top