Repórter Vinícius Pereira / opinião. 


Uma manifestação tomada pela emoção de amigos, parentes e até com a participação de quem não conhecia a jovem Joyce Reis, de apenas 21 anos. A menina alegre, trabalhadora e mãe de um bebê de apenas três anos, foi encontrada morta em sua casa, com marcas de esganadura.

 

Diante de tamanha crueldade, o grupo se reuniu e foi às ruas de Arraial do Cabo para pedir paz, amor e justiça. Um ato que mobilizou as "Amigas da Mama", as "Mulheres sem fronteiras", funcionários do supermercado onde Joyce trabalhava, representantes do grupo LGBT e até mesmo as pessoas que passavam pela rua. A família revoltada e ao mesmo tempo emocionada fez questão de participar do manifesto. 

 

"Elas" pedem mais amor as mulheres que carregam em seu ventre outras vidas. Pedem o fim do olhos fechados de uma sociedade que finge não ver as atrocidades feitas contra aquelas que geram vida e não merecem ser tocas em um fio de cabelo sem consentimento. Os cartazes e as mãos "pintadas de sangue", expressavam bem o sentimento de cada um que ali manifestou o desejo de que um dia as coisas possam mudar... para melhor é claro. 

 

Postar um comentário

 
Top